terça-feira, 23 de Novembro de 2010

O Absolutismo e o Parlamentarismo

  O absolutismo teve inicio no século XVII, no poder absoluto o rei era concederado"o Deus na terra" e tambem era considaderado como o pai do seu povo, possui todos os poderes, o poder legeslativo,o poder exucutivo e o poder juridico,por isso o rei tomava todas as decisoes sem ser questionado.  
   O poder do absolutismo eram um poder que Deus concedia ao rei, com a consolidação do absolutismo o rei tinha mais poder sobre o estado e os conselheiros perderam os seus poderes e os seus serviços já não eram necessários então os conselheiros concentraram-se na secretaria do estado e assim deu-se o fim das cortes  
  No antigo regime havia uma rígida hierarquia, era uma sociedade de ordens,normalmente as classes eram definidas ao nascimento mas por vezes um camponês podia tornar-se burguês e um burguês podia ascender a nobre e eram lhes dado o titulo de nobreza de toga e era o rei que considia-lhes esse titulo.
  Nesse tempo um pais era considerado rico quando tinha uma grande quantidade de ouro e de prata.Como não havia guerras a nobreza de espada/sangue estava a desaparecer e para manter a sua riqueza casava os seus filhos com as filhas dos burgueses ricos.
    Na sociedade de ordensas pessoas achavam que a desigualdade era natural porque deu assim o quiz, nessa hierarquia havia os que eram servidos e os que serviam, os nobres eram servidos e o povo era o que servia,as pessoas de cada estado vestiam-se de maneiras diferentes e isso servia para que as pessoas podessem identificar o lugar de cada pessoa na sociedade por exemplo o *terceiro estado nao podia usar *bozeguins porque só o *segundo estado que podia usa-los e os vestuarios eclisiasticos só poderiam ser utilizados pelo*primeiro estado, a nobreza de toga (que pertence aos segundo estado) vestia-se de maneira diferente da nobreza da sangue/espada (que que pertencia ao segundo estado) havia uma grande diferença 
de tratamento, a nobreza de toga era conciderada uma nobreza de nivel inferior.
   Os nobres portuguêses preocupavam-se  exclusivamente a  demonstrar a sua soberania, como a etiqueta e com o tratamento que cada pessoa da sociedade deveria receber e com uma nobreza que só se preocupava com a sua soberania e com o luxo por isso o país atrasou-se cada vez mais em relação aos outros paises.  
   No parlamentarismo o rei era obrigado a aprovar todas as leis que fossem decididas no parlamentarismo, o sistema parlamentarista era constituído por burgueses e as leis favoreciam sempre os burgueses e com isso o pais desenvolvia-se, mas quem ficava a ganhar era o rei pois tanto a nobreza como a burguesia queriam que o rei lhes concedessem privilégios por isso cada uma das classes sociais tentavam superarem-se uma a outra e o pais desenvolvia-se, se houvesse uma conspiração contra o rei da parte da nobreza os burgueses iriam avisar o rei para ganhar a confiança do rei e se houvesse uma conspiração da parte da burguesia a nobreza faria o mesmo
  Na monarquia parlamentar as pessoas viviam do comercio e os impostos serviam exclusivamente para o comercio, enquanto numa monarquia acidental os impostos serviam para a guerra e para sustentar os nobres

* terceiro estado (povo)
 * borzeguins ( sapatos de tecido bordade, era um luxo nessa época) 
*segundo estado (nobreza)
* primeiro estado (clero)


A Holanda

    A religião da Holanda, o calvinismo, não se opunha á riqueza, enquanto a igreja católica era contra o lucro, assim o calvinismo contrubui para preponderânça da classe dos regentes. 

    Os magistrados das cidades eram escolhidos entre os burgueses mais ricos. E a oligarquia capitalista que controlava o governo das províncias e das cidades.

    Na Holanda as assembleias dos «Estados» dominavam a Politica dos estados gerais, Porem eram dominados pelos representantes das cidades.

     Os Burgueses continuavam na actividade mercantilista, os filhos dos burgueses iam estudar, Provavelmente na área de Direito para poderem fazer as leis.

    Durante a longa guerra eram poucos os que ousavam-se a praticar-la , por isso os estrangeiros que imigravam para Holanda iam para a guerra, como disse anteriormente os filhos secundeiros da nobreza iam  para a guerra mais precisamente na Holanda.

    Mas a marinha era controlada pelos holandeses, pois se pusessem um estrangeiro nas actividades náuticas, quando esses estrangeiros fossem para o seu país podiam levar com eles as técnicas da fabricação dos navios.

    Apesar da guerra a sociedade Holandesa continuava a viver do comércio.
  

 A  reacção dos privilegiados  aos avanços do poder real
   
  Em França durante a imposição do poder absoluto os Nobres, o clero e o Povo eram contra á imposição do absolutismo, caso o poder absoluto fosse imposto o clero e a nobreza ficariam sem os seu privilégios, o povo fez um protesto em paris para apoiar o parlamento contra as medidas arbitrarias de *Mazariano a rainha Ana de Áustria tentou violentamente acabar com a oposição ao absolutismo, então começou a Guerra da Fronda, onde o exercito do rei defrontava-se com os exércitos dos nobres, a Guerra da Fronda foi uma das mais violentas oposições da nobreza ao poder absoluto em França.

  A imposição do absolutismo provocou reacções violentas da parte da nobreza e do clero, o rei para os disciplinar deu inicio Guerra de Fronda e para isso a imposição do poder absoluto teve um processo lento.

Nos países como a Rússia e a Polónia o funcionalismo não parou de aumentar, á medida que a sociedade cresceu e a admiração tornava-se mais complexa, dando origem a burocracia

  Na Teoria o poder absoluto era cumprido, mas há pratica não, devido a *burocracia, os nobres continuavam a ter privilégios, caso o rei fizesse uma lei não seria possível aplica-la em todo o reino porque nem todas as regiões estavam ao mesmo nível de desenvolvimento então as leis tinha de ser ajustada para cada região, havia corrupção no funcionalismo e isso levava ao abuso do poder, a maquina burocrática não era igual em todo lado e como não havia fiscalização se houvesse uma falha financeira não seria do conhecimento do rei , a burocracia levou ao afastamento do rei pois todas as decisões do rei eram passadas no papel assim o rei nunca aparecia publicamente .

  No absolutismo o poder era centralizado pois o rei mandava em tudo, nos locais mais importantes do reino era onde localizava-se os órgãos de administração central, a corte régia tornou-se pólo de atracão ,ou seja todos queriam aproximarem-se do rei.



 

   * Mazariano (primeiro ministro da rainha Ana de Áustria)

  * Burocracia(conjunto de funcionários da administração do estado, tomados na sua dimensão corporativa, ou de grupo, que se identifica com o estado, como se fosse o próprio e não apenas seus servidores)   




Guerra da fronda (1648-1653)

  A Especificidade da sociedade inglesa 

    Na monarquia inglesa o conceito de nobre era diferente de que no resto da Europa. Só os pares do reino eram considerados nobres. Em Inglaterra para ser gentleman era preciso ter estudado leis, ter frequentado a Universidade, ser rico, nunca ter trabalhado, ter um comportamento adequado e ser reconhecido e admitido num grupo de nobres do Condado.
      Na Inglaterra o rei não dava privilégios á nobreza como em França, em França o filho de um nobre era considerado nobre mas em Inglaterra o filho de um par podia ser visto como uma pessoa comum e o filho de um par só era considerado um par se o rei concedesse-lhe esse titulo.
  No século XVII só os pares podiam usar brasão e o colégio das armas iam frequentemente aos condados para verificar se os pares eram realmente pares e se o rei os teria concedido esse titulo.
  Na Inglaterra havia a mobilidade social em que uma pessoa comum podia tornar-se um par e um par podia descer da sua classe e tornar-se uma pessoa comum.  

 

Sem comentários:

Enviar um comentário